Chakras

Chakras

Chakras

A palavra chakra vem do sânscrito e significa roda, círculo ou movimento e é essa a definição básica de um chakra, tem aparência de uma roda girando.

Quando os chakras estão inativos assemelham-se a rodas; quando despertam, eles tomam a aparência de uma flor (lótus) aberta, irradiante, colorida pela freqüência da energia das pétalas.
O que são os chakras e para que servem?

Chakras são centros energéticos do nosso corpo que funcionam como portais de energia fazendo a captação, contenção e distribuição desta energia para todos os corpos energéticos que possuímos, também são responsáveis pela formação do corpo espiritual, são centros de consciência e podemos considerá-los os órgãos da nossa alma. Cada chakra contém um mantra, uma cor, uma divindade protetora, uma forma geométrica e uma função.
Uma frase de Anagarika Govinda: “Enquanto que, de acordo com as concepções ocidentais, o cérebro é a sede exclusiva da consciência, a experiência yogue mostra que nossa consciência cerebral é apenas ‘uma’ entre muitas formas possíveis de consciência, e que esta consciência, de acordo com suas funções e natureza, pode ser localizada ou centralizada em vários órgãos do corpo. Estes ‘órgãos’ que coletam, transformam e distribuem as forças que fluem através deles são chamados de chakras ou centros de força. Deles irradiam correntes de força psíquica, comparáveis aos raios de uma roda ou às pétalas de um lótus”.

Na prática diária utilizando diversas ferramentas de cura, o trabalho de equilíbrio do Chakras nos promove uma vida mais sadia em diversos aspectos, tanto físicos como emocionais. Observar como funcionam os nossos chakras proporciona uma verdadeira visão de si mesmo, como um mapa, uma direção a seguir, pois as escolhas individuais são baseadas nos chakras que estão em desequilíbrio e merecendo atenção e direcionamentos.

“Assim refinamos nosso comportamento individual e consciência adotando mecanismos de controle e harmonizando a influência dos chakras. A energia flui e é transformada por eles. O intelecto encontra maneiras de agir e métodos de conseguir o objetivo desejado. Dessa maneira, o mundo não é o mundo exterior, mas o mundo com qual alguém se associa mentalmente.” Harish Johary

Funcionamento

Chakras

Chakras

Seu funcionamento varia de acordo com a energia captada interna e externamente, são extremamente sensíveis podendo mudar de intensidade e direção facilmente. Sua rotatividade pode ser tanto no sentido horário quanto anti-horário variando de acordo com a energia do indivíduo.

Os chakras podem ser considerados rodas da mente que habitam a floresta dos desejos. Os desejos como as próprias rodas são forças motivacionais. Cada chakra é um estágio dos desejos que completam o ser humano, revelando, em cada um, sua influência nas pessoas que estão trabalhando na energia daquele centro em particular. Através do equilíbrio do chakras, em sua própria vida, na prática constante, a pessoa pensa e compreende as situações da vida a partir da referência do chakra. Assim, cada chakra se torna um estágio para a energia expressa no comportamento humano.

História

Os Chakras estão registrados em culturas antigas e referenciados como pontos energéticos utilizados para cura e progresso energético e espiritual.
O Qi Gong ou Acupuntura da China, o Yoga e o Ayurveda da Índia que faz um tratamento com os marmas e outras culturas antigas tinham conhecimento destes pontos e de como trabalhar com eles em beneficio à saúde.
Os nadis seriam correspondentes aos meridianos chineses, assim como prana, ki e chi seriam nomes diferentes para a mesma energia vital.

A noção de chakra faz parte do tantra, onde as práticas e filosofias do yoga estão ligadas e dos princípios ayurvédicos onde os marmas são utilizados em diversos tratamentos.
O objetivo das práticas tântricas é a subida da kundaliní através dos chakras, ativando-os, a fim de se unir no sahashara com Shiva, aqui representado como essência espiritual e desta forma obter a chamada “iluminação”.

Chakras

Chakras

Este estudo Viver Alternativo de chakras baseia-se na filosofia hindu e em escritos sagrados como o Shat-chakra-Nirupana de Purnananda, escritos de Swami Satyananda Sarasvati e nos Upanishads. Os Upanishads são considerados uma parte dos Vedas, a mais antiga literatura canônica do Hinduísmo, que tem sua origem milhares de anos atrás.

Os sete chakras principais

São sete os principais chakras, cada qual correspondendo a um dos sete corpos sutis, porém existem milhares destes centros de energia espalhados pelo corpo acompanhando os nadis. Os principais chakras estão diretamente ligados ao sistema nervoso e as glândulas endócrinas e possuem funções e características específicas.

Para obter uma descrição detalhada de cada Chakra visite o artigo aqui

São divididos em três grupos:
Inferior (1º, 2º e 3º) ligado diretamente ao plano da matéria e as coisas mais palpáveis da vida,
Médio (4º) ligado ao sentimento puro e todas as emoções
Superior (5º, 6º e 7º) ligado aos planos mental e espiritual, as direções mais sutis e voláteis da vida.

Existem três “nós psíquicos” (1º, 4º e 6º) a serem desatados e por onde é liberado o fluxo de subida da energia Kundaliní.

A psicologia moderna e o Yoga enumeram estes nós como três tipos básicos de tensão:
1) Brahma Granti – Tensão física ou muscular, gerada pelo sentimento de culpa por não vivenciar a plenitude do ser. Está ligado Muladhara Chakra.
2) Vishnu Granti – Tensão emocional gerada pelo sentimento de abandono e por não se sentir amado, necessário. Está ligado ao Anahata Chakra.
3) Rudra Granti – Tensão mental ou psíquica gerada pelo sentimento de inferioridade e por não auto conhecimento. Está ligado ao Ajña Chakra.

Chakras

Chakras

Parte Integrante da Apostila do Curso de Chakras com Raquel Frota

Autoria Raquel Frota

Para utilizar nossos textos favor citar o autor e a fonte.

Como praticar Yoga em Casa – Parte 1 – Entoando o Mantra

Seguindo as dicas da minha aluna de YMA (Yoga Massagem Ayurvédica) Veda Bakti mais o meu toque pessoal, seguem dicas preciosas para quem quer praticar Yoga em casa.

Estas dicas são voltadas para alunos iniciantes.

Devemos ter um local tranquilo, silencioso e limpo, onde não seremos incomodados, deixe o telefone longe de você e cuide para que nada o interrompa. Pelo fato de estarmos em nossa casa, devemos ter o maior cuidado para que os fatores externos não nos incomodem, até os bichinhos que tanto amamos devem estar em outro local (vai que o gatinho resolve querer carinho justamente nessa hora=)).

Para iniciar vamos entoar um mantra, que vai “desligar” você e centralizar a atenção na prática.

Eu recomendo bijas mantras, que são mantras pequenininhos e mais rápidos de serem repetidos. Os mantras serão entoados 108 vezes. Se você tiver um japa mala, utilize-o, mas pode seguir esta indicação de mantra a seguir, acompanhando o vídeo as 108 vezes,  é um mantra para a Deusa Lakhsmi que eu adoro. Existem vários mantras, fique à vontade para escolher o seu.

Este mantra é o seguinte:

Aum Hrim Shri Lakshmi Bhyo Namah

Em seguida vamos para a parte 2, falando da respiração completa.

Atenção:

Essas orientações não substituem a orientação presencial de um profissional habilitado em Yoga, essas dicas foram reunidas mediante a dificuldade de algumas pessoas em frequentar aulas, caso sinta dores ou cansaço exagerado após as práticas pare imediatamente.

Segue a lista de links da série “Como praticar Yoga em casa”

Como praticar Yoga – parte 01 

Como praticar Yoga – parte 02

Como praticar Yoga – parte 03

Como praticar Yoga – parte 04

Como praticar Yoga em casa – Parte 2 – Respiração Completa

Seguindo as dicas da minha aluna de YMA (Yoga Massagem Ayurvédica) Veda Bakti mais o meu toque pessoal, seguem dicas preciosas para quem quer praticar Yoga em casa.

Estas dicas são voltadas para alunos iniciantes.

Devemos ter um local tranquilo, silencioso e limpo, onde não seremos incomodados, deixe o telefone longe de você e cuide para que nada o interrompa. Pelo fato de estarmos em nossa casa, devemos ter o maior cuidado para que os fatores externos não nos incomodem, até os bichinhos que tanto amamos devem estar em outro local (vai que o gatinho resolve querer carinho justamente nessa hora=)).

Após entoar seu mantra favorito vamos a segunda parte e uma das mais importantes, a Respiração Completa.

Importante por que será justamente esta parte que estará presente em todas as práticas, antes durante e depois. É assim que se respira quando se pratica Yoga. E como a Veda falou: “esta sequencia ajuda a gente a respirar direito apenas pelas narinas e não mais pela boca como algumas pessoas fazem, respirando profundamente elimina insonia, stress e ansiedade”. Mas ainda completo que os benefícios da respiração correta vão muito além…

Abaixo um texto muito bom sobre a nossa respiração:

“A respiração é uma ferramenta fundamental para qualquer pessoa.Conhecer o seu padrão respiratório e tomar consciência de sua respiração é fundamental para promover saúde e vitalidade para desenvolver concentração e para criar um sentimento de conexão.

Existem quatro modalidades diferentes de respiração.

respiração baixa ou abdominal;
respiração média ou intercosstal;
respiração alta ou clavicular e
respiração completa.

A respiração completa é a mais importante pois é a combinação das três anteriores.

Respiração Baixa
Permite um maior fluxo de ar e exige o mínimo de esforço.Equivale aproximadamente 60 % da capacidade pulmonar. Ela é a base para a todas as demais.Desenvolvendo esta respiração consciente consegue se livrar das condições emocionais mais densas, promove vitalidade e aumenta a capacidade pulmonar.Além disso promove um massageamento nos órgãos abdominais ( fígado, coração) melhorando o funcionamento da flora intestinal.

Respiração Média
A respiração média equivale a 30% da capacidade respiratória.Nessa respiração utilizamos a estrutura ósseo- muscular do tórax para os lados com o trabalho do diafragma.Ao aprender o movimento dos músculos intercostais possibilitamos uma expansão lateral do tórax ampliando e desenvolvendo a consciência respiratória.
Esta respiração promove estabilidade emocional e gera um bem estar.

Respiração Alta
Acontece na região clavicular, na parte superior do torax.
Geralmente a maioria das pessoas respira desta forma.
Utilizamos 10% desta respiração, contudo, deve-se evitar elevar os ombros ou força-los para trás.
Este pránáyáma é muito importante para arejar os pulmões, desenvolve a concentração e determinação.

Respiração Completa
Todo o aparelho respiratório funciona com amplitude e assimila uma quantidade maior de energia.Utilizando 100% desta respiração enaltecemos a nossa personalidade, desenvolvemos nosso poder de realização e nos tornamos mais conscientes.”

( texto Rosângela de Castro – Respiração Total)

Tem este vídeo que achei fantástico, dá para treinar junto com ele e posso afirmar, treine! Respirar direito não é tão fácil como se imagina! Então treine bastante, nunca se esqueça desta parte e treine ainda mais!

Em seguida vamos para a parte 3 – prática de Yoga com Ásanas (posturas)

Atenção:

Essas orientações não substituem a orientação presencial de um profissional habilitado em Yoga, essas dicas foram reunidas mediante a dificuldade de algumas pessoas em frequentar aulas, caso sinta dores ou cansaço exagerado após as práticas pare imediatamente.

Segue a lista de links da série “Como praticar Yoga em casa”

Como praticar Yoga – parte 01 

Como praticar Yoga – parte 02

Como praticar Yoga – parte 03

Como praticar Yoga – parte 04

Como praticar Yoga em casa – Parte 3 – Posturas (Ásanas)

Seguindo as dicas da minha aluna de YMA (Yoga Massagem Ayurvédica) Veda Bakti mais o meu toque pessoal, seguem dicas preciosas para quem quer praticar Yoga em casa.

Estas dicas são voltadas para alunos iniciantes.

Devemos ter um local tranquilo, silencioso e limpo, onde não seremos incomodados, deixe o telefone longe de você e cuide para que nada o interrompa. Pelo fato de estarmos em nossa casa, devemos ter o maior cuidado para que os fatores externos não nos incomodem, até os bichinhos que tanto amamos devem estar em outro local (vai que o gatinho resolve querer carinho justamente nessa hora=)).

Depois que estivermos bem conectados à prática, ou seja, com a mente e corpo relaxados, desligados do mundo exterior e dos problemas iremos passar para a prática de Ásanas, que são as posturas do Yoga.

A Veda recomenda que se repita cada postura por 3 vezes, fazendo pelo menos 3 respirações completas, mas é claro que o tempo de permanência em cada uma é pessoal, se tiver mais resistência, fique mais tempo! Mas sempre respirando, nada de prender a respiração para fazer força!

Por dia podemos praticar uma média de 4 ásanas, seguidos de uma auto massagem no corpo todo. Finalize na posição Shavasana, que é simples, deitada de barriga para cima e olhos fechados  por uns 10 min. Complete sua prática com uma breve meditação e um mantra.

A prática dura em média 1 hora.

Dicas importantes:

– Respeite seu corpo e seus limites, você verá por exemplo uma postura que vai encostar as mãos nos pés, se você não consegue, não leve as mãos até os pés, mas é importante tentar ir no máximo possível e ir aumentando aos poucos.

– Olha atentamente cada detalhe das posturas como posição das mãos e pés, onde está a cabeça, qual a inclinação da coluna, etc… O objetivo é que você se aproxime ao máximo do objetivo que é a postura como está em cada imagem.

– A respiração é o segredo do negócio.

– Organize-se em fazer primeiros as posturas sentadas, depois deitadas e depois de pé, não transforme sua prática numa bagunça.

Estes são os ásanas recomendados para quem está começando. Lembrando que mesmo sendo para iniciantes, muitos não conseguirão fazer exatamente como está na imagem, mas com a prática, em breve este objetivo é alcançado.

Em seguida vamos para a parte 4 onde continuarei a falar sobre a prática de Yoga.

Atenção:

Essas orientações não substituem a orientação presencial de um profissional habilitado em Yoga, essas dicas foram reunidas mediante a dificuldade de algumas pessoas em frequentar aulas, caso sinta dores ou cansaço exagerado após as práticas pare imediatamente.

Segue a lista de links da série “Como praticar Yoga em casa”

Como praticar Yoga – parte 01 

Como praticar Yoga – parte 02

Como praticar Yoga – parte 03

Como praticar Yoga – parte 04

Ustrasana

Ustrasana

Sashaungasana

Sashaungasana

janu sirshasana

janu sirshasana

Gomukhasana

Gomukhasana

dandasana

dandasana

Balasana

Balasana

Adho mukha

Adho mukha

bandhasana

bandhasana

bhujangasana

bhujangasana

dhanurasana

dhanurasana

kumbhakasana

kumbhakasana

matsyasana

matsyasana

viparita karani

viparita karani

anjaneyasana

anjaneyasana

utkatasana

utkatasana

Padahastasana

Padahastasana

parivrtta

parivrtta

virabhadrasana

virabhadrasana

vrikshasana

vrikshasana

Como praticar Yoga em casa – Parte 4 – Aulas

Seguindo as dicas da minha aluna de YMA (Yoga Massagem Ayurvédica) Veda Bakti mais o meu toque pessoal, seguem dicas preciosas para quem quer praticar Yoga em casa.

Estas dicas são voltadas para alunos iniciantes.

Devemos ter um local tranquilo, silencioso e limpo, onde não seremos incomodados, deixe o telefone longe de você e cuide para que nada o interrompa. Pelo fato de estarmos em nossa casa, devemos ter o maior cuidado para que os fatores externos não nos incomodem, até os bichinhos que tanto amamos devem estar em outro local (vai que o gatinho resolve querer carinho justamente nessa hora=)).

Depois que estivermos bem conectados à prática, ou seja, com a mente e corpo relaxados, desligados do mundo exterior e dos problemas iremos passar para a prática de Ásanas, que são as posturas do Yoga.

A seguir teremos 4 vídeos bem interessantes que mostram como é uma aula de Yoga. Todos são ótimos para que está iniciando, escolha o seu de acordo com a situação do seu corpo.

Os 3 primeiros são uma série que você pratica o primeiro durante uns 10 dias mais ou menos, vai para o segundo vídeo, pratica mais 10/15 dias e aí vai  Eles utilizam o termo básico, intermediário e avançado, mas na minha opinião, até o vídeo avançado ainda está no nível iniciante pois as posturas não são assim tão complicadas de fazer. O legal é que o primeiro vídeo, de nível básico, é básico mesmo, bem facinho de fazer, ideal para quem está começando e está beeeem enferrujado, aí pode passar ao segundo vídeo quando se sentir seguro com as posturas do primeiro.

O quarto vídeo na minha opinião é o mais legal, porque mostra uma aula mesmo, com o professor e  as alunas, dura mais ou menos meia hora e fica bacana se você colocar no vídeo e “participar” da aula junto com as outras alunas, rsrs. Mas esse não é tão simples assim e tem umas posturas mais complicadinhas. Lembre antes de praticar o mantra e a respiração como introdução a estas aulas.

Série com 3 vídeos

Aula de Yoga

Atenção:

Essas orientações não substituem a orientação presencial de um profissional habilitado em Yoga, essas dicas foram reunidas mediante a dificuldade de algumas pessoas em frequentar aulas, caso sinta dores ou cansaço exagerado após as práticas pare imediatamente.

Segue a lista de links da série “Como praticar Yoga em casa”

Como praticar Yoga – parte 01 

Como praticar Yoga – parte 02

Como praticar Yoga – parte 03

Como praticar Yoga – parte 04